live_tvINSCREVA-SE NO REMADOR TV
Google News Siga o Remador no Google News
Google News Siga o Remador no Google News!

Manaus (AM) – Em 2022, o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas atuou em 211 ocorrências de incêndios em residências e estabelecimentos comerciais na capital do estado. Na manhã do último sábado (21), um princípio de incêndio atingiu um depósito no Shopping Leste, na Avenida Grande Circular, Zona Leste de Manaus. De acordo com Orleiso Muniz, comandante do Corpo de Bombeiros, com o calor das chamas, as paredes do local ficaram dilatadas e trincadas. Sob o risco de iminente desabamento, a administração do shopping fechou o local por tempo indeterminado.

Continua depois a Publicidade

Fatos como este acendem um alerta acerca da importância da prevenção contra incêndios em estabelecimentos comerciais.
Para o Engenheiro Civil, Thiago Maron – Master em Patologias Avançadas e Perito, é preciso, além de fiscalizar de forma adequada o andamento de qualquer projeto, verificar se os ambientes comerciais obedecem às normas e legislações e aos cuidados para manter e garantir a segurança dos clientes e funcionários.

“Todo incêndio ou princípio de incêndio gera preocupação em qualquer que seja a magnitude ou circunstância. Porém, se tratando de lojas, shoppings, boates, cinemas e afins, os riscos são bem mais elevados e complexos por conta da quantidade de pessoas envolvidas e o tempo necessário para evacuar todas em segurança. Por isso a importância de se consultar os procedimentos de avaliação e vistoria da obra, respeitar as limitações, utilizar corretamente os materiais e equipamentos de combate a incêndio e, principalmente, tornar visíveis e de fácil acesso as rotas de fuga de qualquer estabelecimento”, complementou.

Relembre alguns casos

Há dez anos uma tragédia voltou os olhos do país para a cidade de Santa Maria, no Rio Grande do Sul. O incêndio na boate Kiss ocorreu em janeiro de 2013 e deixou 242 mortos e 636 feridos. Apontada por perícia como uma das causas do alastre do incêndio e a principal responsável pela quantidade de óbitos, a espuma usada no palco e no teto da casa noturna era inflamável e gerava uma fumaça altamente tóxica. “Em geral, o que mata num incêndio não é tanto o fogo propriamente dito, mas sim a fumaça gerada pela queima dos materiais, que intoxica e incapacita as pessoas, além, é claro, do pânico generalizado”, afirma Maron.

Um recente caso ocorrido dia 15 de janeiro em um Clube de Tiros no bairro Ponta Negra, Zona Oeste de Manaus, chama a atenção da população para as causas da explosão que vitimou cinco pessoas e, de acordo com imagens divulgadas pelo Corpo de Bombeiros, deixou o local destruído.

Em nota, a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) informou que está em diligência, juntamente com os demais órgãos responsáveis, para investigar a causa da explosão. No entanto, de acordo com o titular do 19 Distrito Integrado de Polícia (DIP), Costa e Silva, que é o responsável pelo inquérito policial sobre o caso, a espuma de tratamento acústico que reveste o local pode ter facilitado a propagação do fogo e provocado fumaça tóxica. Segundo a autoridade policial, a espuma que havia nos estandes era semelhante ao material usado na boate Kiss, incendiada na madrugada do dia 27 de janeiro de 2013.

Instagram Box
×

Siga-nos no Instagram e fique por dentro das últimas notícias!

message Siga Agora!
Share.

Diretor de Jornalismo | MTB 1697/AM | E-mail: jornalismo@remador.com.br Especializado em Política com cobertura dos bastidores da polítca no Amazonas.

Google News Siga o Remador no Google News!